quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Cruzamento da Ipiranga com São João ganha faixa de pedestre em "X"

27/01/15 - Agência Estado

Famosa esquina de SP é o segundo local no centro a receber a sinalização, inspirada em modelo japonês e que visa a dar mais segurança às pessoas na travessia

Faixa em "X" na esquina da São João com a Ipiranga
Faixa em
créditos: Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo
 
Um dos cruzamentos mais famosos da cidade de São Paulo, entre as avenidas Ipiranga e São João, recebeu nesta segunda (26) a segunda faixa de pedestres da capital em formato de "X". Em dezembro, as ruas Riachuelo e Cristóvão Colombo, também no centro, haviam inaugurado o desenho.
 
A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) explica que a faixa em "X" visa a "facilitar a vida dos pedestres", que, em vez de "fazer a travessia em duas etapas distintas (uma via por vez) para atingir a esquina oposta, podem fazê-lo em uma única passagem". Segundo o órgão, com a medida o tempo médio de travessia aos pedestres cairá de dois minutos e meio (159 segundos) para um minuto e meio (88 segundos).
 
Passam pelo cruzamento cerca de 80 pessoas por minuto à tarde, período de maior movimento. Já pela manhã, são 40 por minuto.
 
Inspiração
O projeto, que vai ser estendido a outros endereços nos próximos meses, é inspirado nos modelos de Tóquio, no Japão, uma das cidades mais movimentadas do mundo. Equipes da CET farão o acompanhamento das intervenções para garantir a segurança de pedestres e motoristas.
 
A iniciativa faz parte do Projeto Centro Aberto, da Prefeitura, que prevê qualificar os espaços físicos, promover atrações culturais nas ruas e qualificar ações de proteção e priorização de pedestres e ciclistas na região central da cidade. Veja o croqui do projeto:

222

Paulista deverá ter só uma conexão para outra ciclovia

28/01/2015 - O Estado de SP

A ciclovia da Avenida Paulista, prometida para o meio deste ano, deverá ter apenas uma conexão com outra via ciclística. É o que indica o projeto da obra, divulgado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Trata-se da pista só para bikes prevista para ser implementada na Rua Frei Caneca.

No ano passado, o secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, havia divulgado a intenção de criar conexões com outras ciclovias em transversais da Paulista, como a Alameda Pamplona e a Rua Bela Cintra. Contudo, no projeto oficial da obra, que começou no início de janeiro, apenas a ciclovia da Frei Caneca estará interligada à da Paulista, que ficará no canteiro central da avenida.

Além disso, o projeto indica que oito relógios de rua, seis postes de iluminação e três totens de semáforos terão de ser realocados para a passagem da ciclovia. Ela será feita de asfalto pigmentado de vermelho, cor estabelecida para vias ciclísticas pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Grades também serão instaladas em alguns trechos nas laterais da via, especialmente nas pequenas rampas de concreto que levarão os ciclistas para o nível da rua nos cruzamentos, para ampliar a sua segurança.

Reforço. Parte dos respiros do Metrô instalados no canteiro da Paulista receberão um reforço para permitir a passagem dos pneus das bicicletas. A CET ainda está definindo como será a sinalização para quem decidir pedalar pela ciclovia. Essas pessoas terão "áreas de conflito" com os pedestres nas travessias da avenida. Por isso, semáforos exclusivos para quem está pedalando deverão ser posicionados nesses locais. A ciclovia da Paulista continuará pela Avenida Bernardino de Campos. Na ponta oposta, descerá pela Rua Itápolis, na região do Pacaembu.

Questionada se outras ciclovias da região se conectarão à da Paulista, a CET informou por meio de nota que está "efetuando as análises das conexões". A obra custará cerca de R$ 15 milhões, segundo a Prefeitura.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Esquina da Ipiranga com a São João ganha faixa em X

27/01/2015 - O Estado de SP


Um dos cruzamentos mais famosos da cidade de São Paulo, entre as Avenidas Ipiranga e São João, recebeu nesta segunda-feira, 26, a segunda faixa de pedestres da capital em formato de "X". Em dezembro, as Ruas Riachuelo e Cristóvão Colombo, também no centro, haviam inaugurado o desenho.

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) explica que a faixa em "X" visa a "facilitar a vida dos pedestres", que, em vez de "efetuar a travessia em duas etapas distintas (uma via por vez) para atingir a esquina oposta, podem fazê-lo em uma única passagem". Com a medida, o tempo médio de travessia aos pedestres cairá de dois minutos e meio (159 segundos) para um minuto e meio (88 segundos).

Passam pelo cruzamento cerca de 80 pessoas por minuto à tarde, período de maior movimento. Já pela manhã, são 40 por minuto.

Inspiração. O projeto, que vai ser estendido a outros endereços nos próximos meses, é inspirado nos modelos de Tóquio, no Japão, uma das cidades mais movimentadas do mundo. Equipes da CET farão o acompanhamento das intervenções para garantir a segurança de pedestres e motoristas.

A iniciativa faz parte do Projeto Centro Aberto, da Prefeitura, que prevê qualificar os espaços físicos, promover atrações culturais nas ruas e qualificar ações de proteção e priorização de pedestres e ciclistas na região central da cidade.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015